Acate

04/dez/2018

Empresas em busca de inovação compartilham seus principais desafios no Link Lab Open Day

Patrocinadoras do programa de inovação aberta da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) contam como startups podem ajudá-las a superar suas dores.

Na última terça-feira (28) ocorreu o Link Lab Open Day, evento do programa de inovação aberta da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) no qual as empresas patrocinadoras se apresentam e contam como startups podem ajudá-las a resolver as suas dores. Subiram no palco representantes da Nexxera, que é cofundadora da iniciativa, WEG, Marisol, Cesusc, Flex, Engie, Brognoli, Teltec e Qualirede.

 

Paulo Lisboa, vice-presidente de gestão de investimentos da Nexxera, ressaltou que quanto mais uma empresa cresce, maior é a burocracia que precisa enfrentar. Por isso, segundo ele, buscam inovação no Link Lab. Já Geraldo Campos, consultor de inovação e empreendedorismo, compartilhou que a companhia tem como visão de futuro fomentar a cultura da inovação e do empreendedorismo internamente.

 

A WEG busca principalmente quem desenvolva novos materiais para tintas líquidas e em pó, soluções em big data e inteligência artificial para vendas e projetos de motores, melhorias no monitoramento de ativos de produtos, além de realidade aumentada para processos em linhas de montagem, principalmente para capacitar novos colaboradores. Quem apresentou as demandas foi Carlos Martins, do departamento de Pesquisa e Inovação Tecnológica da WEG.

 

Gisele Bessa, supervisora industrial da Marisol, disse que 2018 foi um ano em que houve evolução da metodologia adotada no Link Lab, com vários projetos elaborados em parceria com startups, gerando inclusive contratos comerciais. A empresa busca agora soluções em impressão 3D, realidade aumentada e neurociência.

 

O Cesusc quer se aproximar especialmente de startups da área de educação — as edtechs —, mas estão abertos para conversar com desenvolvedoras de outros segmentos que tenham interesse em apresentar um projeto à faculdade. Segundo o diretor geral da instituição de ensino, Flávio Balbinot, o Cesusc está disposto a entrar com sociedade e oferecer apoio financeiro às startups. Além disso, destacou que os alunos podem ser mão de obra, uma vez que eles têm interesse em aprender na prática e em ambientes inovadores.

 

Leandro Schmitz, superintendente de inovação da Flex, destacou que a empresa tem apresentado crescimento de 48% ao ano e está entre as melhores do Brasil para se trabalhar e onde iniciar a carreira. Ela busca startups para desenvolver projetos nas áreas de bots, big data, omnicanalidade, inteligência artificial, gamificação, internet das coisas, healthcare e varejo.

 

A Engie tem como uma de suas prioridades a digitalização. Por isso, está à procura de startups que possam ajudá-la na transformação digital. Rafael Calado, coordenador de inovação, pesquisa e desenvolvimento, explicou que a empresa está no Link Lab por acreditar que as startups possam trazer grandes inovações na área tecnológica — “nós entendemos de energia, vocês entendem de tecnologia”, realçou.

 

A Brognoli afirmou que suas dores têm relação com relevância e conveniência, muito por conta da burocracia. Por isso, segundo o gerente de inovação da imobiliária, Lukan Vanderlinde, busca projetos para auxiliá-la no trabalho com dados, otimização de infraestrutura, gerenciamento e melhoria da experiência dos usuários. David Benalcazar, analista de inovação, complementou citando que buscam novos produtos e serviços para o setor imobiliário, startups que contribuam para a inovação ou ajudem a diminuir o viés burocrático.

 

Diego Ramos, diretor da Teltec, apontou que a empresa integra o programa de inovação aberta por muitos motivos e um deles é mudar o mindset. “Porém, nosso principal propósito sempre é gerar cada vez mais resultados para os clientes”, disse. Ele reforçou ainda que as conexões são algo muito forte para a empresa, por isso podem aproximar as startups com alguns de seus grandes clientes como Azul, Tigre e Banco do Brasil.

 

A Qualirede busca soluções em machine learning para auditoria de guias, chatbot para call center, entre outras. Quem fez a apresentação foi Mirian Pinheiro, diretora do centro de serviço compartilhado, que destacou que a empresa, especialista em gestão de planos de saúde, faz desde a emissão da carteirinha até a cobrança em nome das operadoras.

 

Startups em qualquer estágio de maturidade, constituídas ou não, alinhadas às áreas de interesse podem participar do Link Lab. As inscrições para o programa devem ser realizadas em http://linklab.acate.com.br/.