Santa Catarina

21/jan/2019

Setor tecnológico catarinense é exemplo de como a cultura de troca de experiências fomenta o empreendedorismo

Ter um mentor ou participar de programas de aceleração auxilia novos empreendedores a encontrar o caminho das pedras

Abrir as portas das empresas ou oferecer mentorias, ao contrário do que muitos pensam, não significa gerar concorrência, mas sim compartilhamento de conhecimentos e reinvenção do ecossistema, proporcionando retorno à sociedade. O setor de tecnologia de Santa Catarina é exemplo disso: com três dos principais polos do país — Florianópolis, Joinville e Blumenau —, o estado conta com aceleradoras, incubadoras, fundos de investimento, investidores-anjo, entre outros atores que proporcionam a interação entre quem está começando agora e empreendedores já consolidados. O Startup SC, do Sebrae/SC, por exemplo, é um programa de capacitação no qual 50 startups são selecionadas para cada turma, que durante um período de cinco meses participam de uma série de workshops e sessões de mentoria, ministrados por especialistas e empresários de sucesso. O objetivo final do programa é deixar a startup estruturada, pronta para crescer.

Os eventos também são muito importantes para esse tipo de networking. O Startup Summit, promovido pelo Sebrae, teve sua primeira edição no ano passado e busca promover o fortalecimento da inovação, através da união do ecossistema empreendedor de todo o Brasil em Santa Catarina. “A ideia do evento é o participante aprender com os cases e ver que não está sozinho, que outros empreendedores já passaram por grandes desafios e conseguiram prosperar”, explica Alexandre Souza, gestor do Startup SC. Já o Startup Weekend — rede global de líderes e empreendedores de alto impacto que procuram inspirar, educar e capacitar indivíduos, equipes e comunidades, através da imersão no ecossistema das startups —  tem como objetivo ajudar os futuros empreendedores a darem um salto em direção a criação de um negócio, vivendo uma jornada empreendedora.

Ter um mentor, por exemplo, pode mudar a forma como uma empresa vê e vive a sua jornada empreendedora. O mentor auxilia na resolução dos desafios dos iniciantes e proporciona aumento de performance, maximizando o potencial dos mentorados. De acordo com uma pesquisa da Endeavor, organização mundial de fomento ao empreendedorismo, 33% dos gestores orientados por empreendedores de sucesso tornam-se líderes de alto desempenho.

A Endeavor, em 2018, avaliou mais de 250 empresas no programa de aceleração regional Scale-up SC, selecionando 21 — o Scale-up é voltado às empresas com alto impacto e grande potencial de crescimento. “Nosso papel é ajudar os empreendedores nos desafios estratégicos que suas empresas de alto crescimento têm. As mentorias com as maiores lideranças do país, como Sonia Hess, ex-presidente da Dudalina ou Luis Justo, CEO do Rock in Rio, são parte fundamental”, diz Guilherme Lopes, líder da Endeavor em Santa Catarina.