Polos Regionais

28/jan/2019

ONG de inclusão digital capacita 1,3 mil jovens no Sul do Brasil em 2018

Comitê para a Democratização de Informática (CPDI) tem projetos como o Introdução à Lógica de Programação e o Escola Rural.

Em 2018, a ONG Comitê para Democratização da Informática (CPDI) beneficiou 19 comunidades em toda a região Sul do país por meio de seus projetos de inclusão digital para jovens. Foram, ao total, 1.311 alunos certificados.

Para Cleusa Kreusch, coordenadora da organização, contar a história do CPDI é falar de uma experiência que deu certo: “ultrapassamos fronteiras sem perder nosso referencial e consolidamos naturalmente a missão do CPDI. Nosso trabalho é amparado por uma proposta político pedagógica inspirada em conceitos do educador Paulo Freire, o que possibilita a aplicação em diferentes cenários. Trata-se de uma pedagogia construída a partir da percepção da realidade local, que pode ser transformada a partir de ações cidadãs pontuais para cada instituição, realidade e público”, diz.

Dentre os programas do CPDI, estão o Escola Rural, patrocinado pela Philip Morris Brasil, que beneficiou 377 jovens agricultores no ano passado e visa promover a educação digital no campo, evitando assim o êxodo rural; o Espaço Cidadão, que oferece cursos de Introdução à Informática Básica e Cidadania (engloba todas as plataformas digitais, desde o pacote Office até infográficos e aplicativos, por exemplo); o Introdução à Lógica de Programação, que está com inscrições abertas; e o Mão na Massa, que ensina desenvolvimento de games e aplicativos, em parceria com a Cheesecake Labs.

“Para 2019 esperamos contar com todos os nossos parceiros de longa data, e com novas parcerias para que o nossos propósitos de inclusão e de empoderamento digital possam ser completados com êxito”, finaliza Cleusa.