Conteúdos que inspiram e ajudam a apontar caminhos
para quem faz a inovação.

 

O que mais chama a atenção dos investidores nos pitchs das empresas?

A ACATE Investimentos tem realizado Pitch Days, encontros em que empresas associadas pré-selecionadas apresentam seus projetos em busca de investidores. Conversamos com os gestores dos fundos que participaram do Pitch Day na modalidade de Venture Capital, realizado no dia 10 de abril, para saber o que mais chama a atenção deles na apresentação do negócio de cada empresa.

 

Diego Bertolin, do fundo Inseed, ressalta a importância da equipe e da liderança do gestor. “Por mais inovadora que seja a empresa e a oportunidade de negócio, somente um excelente time será capaz de enfrentar o desafio de lançar-se ao mercado. São características fundamentais para o sucesso da empresa a capacidade de errar, aprender com os erros e ter a humildade de perceber os gaps que a empresa ainda precisa desenvolver”.

 

Reinaldo Coelho, da Triaxis Capital, também ressalta a importância da equipe. Para ele, esse fator representa 50% ou até mais do negócio. “Além disso gostamos de entender o mercado e seus economics, inovação, concorrência e um pouco sobre os financials”.

 

Marcelo Wolowski, do fundo Bzplan, considera três fatores como principais na hora de analisar um negócio. “O time de funcionários; tração e mercado – o que a empresa fez e o que vai fazer – e as estratégias de expansão”.

 

O critério para as empresas apresentarem seus pitchs no evento do dia 10 era ter faturamento entre R$1 a R$12 milhões por ano, além de ser especializadas em tecnologia de software ou hardware. Elas ainda teriam que ter ticket médio de investimento entre R$2 a R$10 milhões.

 

Wolowski, que também é coordenador do grupo temático, ressalta a importância dos Pitch Days. “Eles são uma oportunidade única, em que um empreendedor pode ficar frente a frente por 30 minutos com um investidor apresentando seu negócio”.

 

Para Coelho, esses encontros são uma excelente iniciativa para os fundos saberem mais sobre as empresas locais. “As gestoras ainda estão conhecendo o Estado, pois antes estavam focadas na região Sudeste”.

 

Bertolin destacou a oportunidade de conhecer empresas que estão em busca de investimento para acelerar o crescimento. “Esse tipo de exercício junto a investidores é uma oportunidade excelente para testar o pitch, afinar o modelo de negócios e se aproximar de futuros investidores.

 

Venture Capital em Santa Catarina

 

Apesar de ser reconhecido como um importante polo de desenvolvimento de tecnologia, o estado de Santa Catarina ainda não recebe os mesmos investimentos de fundos de venture capital que os outros grandes centros do país, principalmente na região Sudeste. Segundo dados apurados pela Escola do Financeiro e publicados pelo portal SC Inova, o montante investido nessa modalidade diminuiu no Estado em 2018 em relação a 2017. Os recursos captados em 2017 somaram R$ 178,6 milhões, enquanto os de 2018 R$ 115,8 milhões.

 

Outro indicador que chama a atenção é a concentração em poucas empresas do valor total investido pelos fundos. Nos anos de 2016 a 2018, os aportes em uma única empresa em relação ao total investido representaram 67%, 83% e  86%, respectivamente.

 

Marcelo Wolowski, coordenador do grupo temático ACATE Investimentos e sócio do fundo Bzplan, explica essa concentração de recursos. “Nesses últimos anos um grande aporte de capital foi investido em poucos projetos. Isso não quer dizer que poucas empresas receberam investimento, mas sim que esses grandes aportes puxam esse percentual de concentração para cima invariavelmente”.

 

Para o head de investimentos da Inseed, Diego Bertolin, Santa Catarina tem um ecossistema de inovação e empreendedorismo sólido e ativo, que tem potencial para gerar diversas oportunidades para Fundos de Venture Capital do Brasil e do Mundo. “Foram realizadas mais de 300 transações nos últimos dez anos no Estado. Só a Inseed realizou oito investimentos, totalizando mais de R$ 30 milhões. Neste ano, pretendemos realizar pelo menos 3 novos investimentos em Santa Catarina, e temos mandato de investir até R$10 milhões por empresa”.

 

O próximo Pitch Day está marcado para o dia 25 de abril. Desta vez, o critério é de empresas associadas ACATE com foco em B2B, que tenham ticket médio de investimento entre R$ 100 mil a R$ 800 mil e com produtos ou serviços que já estão operando e faturando. Também há a preferência por empresas que já tenham recebido investimento anjo ou tenham sido acelerados. Esse será o terceiro Pitch Day realizado pela ACATE Investimentos. O primeiro foi na modalidade Private Equity, focado para empresas com faturamento superior a R$ 10 milhões por ano.


Deixe seu comentário