Conteúdos que inspiram e ajudam a apontar caminhos
para quem faz a inovação.

 

Resiliência para crescer em tempos de crise

Resiliência para crescer em tempos de crise

Resiliência tem sido uma habilidade cada vez mais demandada por organizações e figura entre os principais requisitos avaliados nos processos seletivos. Afinal, o ambiente organizacional passa por mudanças e desafios cada vez mais frequentes.  São alterações de sistemas, fusões entre empresas, reestruturações no quadro de funcionários, sem falar nos projetos cada vez mais complexos e nas metas cada vez mais ambiciosas. 

Podemos definir resiliência como a capacidade humana para enfrentar, superar e ser fortalecido ou transformado por experiências de crise ou adversidade.  Nos tempos em que vivemos, onde situações adversas acontecem com grande frequência, a resiliência tem se tornado uma habilidade essencial para superar desafios e viver em equilíbrio.

O objetivo de contratar um funcionário resiliente é saber que ele é capaz de superar obstáculos e consegue resolver diferentes tipos de problemas. Essa habilidade viabiliza várias oportunidades dentro da empresa. Porém, a falta de resiliência pode resultar em bloqueios e estagnação no trabalho, o que gera por consequência, frustração e desânimo, criando um ciclo perigosamente improdutivo.

Você não pode decidir quais são as crises, adversidades e imprevistos que vai ter que enfrentar, nem escolher quando eles vão acontecer. Mas, com resiliência, você terá a capacidade de escolher como vai reagir a estas situações, e assim, poderá ser mais efetivo na busca por soluções, sem sofrer mais do que o necessário. 

A boa notícia é que você pode ampliar a sua resiliência, à medida que investe em seu autoconhecimento e na qualidade dos seus pensamentos. Todos temos uma certa elasticidade emocional que pode ser ampliada por meio da reflexão e das experiências de vida. 

Martin Luther King Jr. nos traz uma imensa inspiração com sua frase: a verdadeira medida de um homem, não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio. 

Seguindo a metáfora do bambu, note que a pessoa é aquela que “enverga mas não quebra”, que toma uma nova forma e conduta para superar momentos adversos, sem perder sua essência e sua capacidade de voltar à forma original. 

Ela é ativa e não passiva em relação ao que acontece a seu redor e em sua vida, sempre acreditando ser autora do seu presente e futuro, e não uma vítima do seu passado.

Ter resiliência não significa evitar situações de estresse, mas transformar esse estresse em energia positiva. 

Para ampliar sua resiliência é importante que você tenha consciência dos sentimentos que vem à tona nas situações de adversidade, sejam eles medo, raiva, desamparo ou surpresa. A maestria consiste em combinar a racionalidade a estes sentimentos para dimensionar a situação corretamente e tomar a decisão mais adequada e eficaz.

Algumas dicas de grande valor para você desenvolver sua resiliência no ambiente de trabalho:

  • Avalie cuidadosamente o tamanho do problema. Evite o efeito “tempestade em copo d’água”.
  • Saiba separar a pessoa que você é, daquilo que você faz
  • Aprenda a lidar com suas emoções e com os sentimentos dos outros
  • Cultive bons relacionamentos no ambiente de trabalho
  • Em meio à crise, seja parte da solução e não do problema

Uma última consideração: seja generoso consigo mesmo! É bem provável que em situações de crise no passado, você tenha tomado uma decisão inadequada, ou talvez, pudesse ter reagido de uma maneira mais produtiva. 

Lembre-se que o erro é parte fundamental do aperfeiçoamento. Aprenda a se perdoar e a refletir a partir das lições aprendidas com os equívocos do passado. Quando uma situação semelhante acontecer no futuro você terá mais experiência e recursos para enfrentá-la.

 

*Por Anderson Oliveira, professor dos cursos de MBA e especialização na FGV e FIA-USP


Deixe seu comentário