Conteúdos que inspiram e ajudam a apontar caminhos
para quem faz a inovação.

 

Social Good Brasil usa inteligência de dados para apoiar Santa Catarina no combate ao coronavírus

A instituição sem fins-lucrativos participa de Núcleo Intersetorial de Combate ao Covid-19 para desenvolver processos e produtos de dados que apoiem as decisões do estado com evidências e respeitando a LGPD

Santa Catarina, 15 de abril de 2020 – O Social Good Brasil (SGB), instituição sem fins-lucrativos que tem como missão fomentar o uso de tecnologias e inteligência de dados para ajudar a resolver problemas sociais – Tech e Data For Good – se uniu ao governo de Santa Catarina para apoiá-lo no combate à pandemia do Covid-19 com soluções baseadas em dados e evidências. O SGB, que atua com tecnologias e dados para promover impacto social no País desde 2012, compõe o Núcleo Intersetorial de Combate ao Covid-19, ao lado de secretarias e órgãos do governo, Tribunal de Justiça e Ministério Público de Santa Catarina, entidades médicas e técnicas para atuação de maneira colaborativa e inovadora, em uma  iniciativa inédita.

Além de propor a governança adequada para um processo decisório eficiente e com base em dados, o SGB apoia o desenvolvimento de cinco produtos de dados anonimizados.  Isto quer dizer que as iniciativas respeitam a Lei Geral de Dados e Privacidade (LGPD) e a privacidade dos cidadãos catarinenses.  Dentre as soluções de dados (mais detalhes abaixo), destaque para o Banco de Dados Anonimizados (garantindo assertividade nas decisões, sem expor os cidadãos) e o Banco de informações abertas ao público para honrar o princípio da transparência, seguindo as melhores práticas estabelecidas pela Open Knowledge Foundation, referência no tema.

“O SGB usa a sua metodologia própria para o uso de inteligência de dados para impacto social, já utilizada em nossos laboratórios para Empreendedores Sociais, Investidores Sociais e Gestores Públicos. Em 2019, realizamos o primeiro Laboratório de Dados de Governo, em que 8 secretarias de estado participaram e tiveram grandes avanços na gestão a partir do uso de dados”, explica Fernanda Bornhausen, cofundadora e presidente voluntária do Social Good Brasil.

A presidente coloca a ONG à disposição para apoiar outros estados com mentorias e compartilhando essa experiência. “Mais do que nunca, é preciso transparência, integridade e segurança. Estes são os pilares desta nova Era e atuais exigências da sociedade para as instituições”, afirma Fernanda.

Soluções de inteligência de dados desenvolvidas em parceria com o SGB

Com base nestas análises, a instituição realizou um diagnóstico e indicou o desenvolvimento e participa da implementação de cinco produtos de inteligência de dados, todos eles com squads multidisciplinares formados. São eles:

  1. Banco de Dados Anonimizados de casos confirmados e suspeitos 

Foi desenvolvido pelo Governo de SC em tempo recorde e segue os moldes do banco de casos da Coreia https://www.cdc.go.kr/cdc_eng/

  1. Modelo Epidemiológico e calculadoras epidemiológicas

O Modelo Epidemiológico foi desenvolvido gratuitamente pelos cientistas de dados da Data Science Brigade e voluntários especialistas do SGB, em conjunto o governo de SC.  Seguiu-se o modelo epidemiológico da Imperial College, escolhido pelos especialistas que compõem a ação por já ser validado internacionalmente.

  1. Frente de Transparência

Estão sendo  criados boletins internos e externos, BI de acesso público e Banco de Casos anonimizados para consulta e utilização da sociedade seguindo todas as recomendações da Open Knowledge Foundation https://okfn.org/ . Em desenvolvimento pelo time do SGB e times do Governo de Santa Catarina.

  1. Mapa de Situação de Riscos 

Para apoiar nas estratégias regionais de contenção e mitigação.  Em desenvolvimento pelo time do SGB e times do Governo de Santa Catarina.

  1. Mapeamento da Capacidade dos leitos, equipamentos e EPIs

Em desenvolvimento pela ACM e times do Governo de Santa Catarina.

Os cinco produtos foram desenvolvidos respeitando a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), com dados anonimizados e retirados de casos confirmados e suspeitos no estado.

Modelo Epidemiológico 

O Modelo Epidemiológico está em testes há quatro dias rodando com dados históricos de Santa Catarina, sendo preciso no mínimo de sete dias para acompanhamento (até dia 17 de abril). Todos os dias o modelo é alimentado e ajustado via dados disponibilizados e, ao mesmo tempo, estão sendo realizados testes com calculadoras epidêmicas, incluindo as disponibilizadas pelo Ministério da Saúde.

Os resultados deste modelo devem começar a surgir em sete dias, ou seja, a partir de 18 de abril. Os resultados serão mensurados através de:

  • Montagem de cenários e projeções de estudo através dos quais as autoridades irão avaliar as curvas de expansão de contágio e projeções de impacto na sociedade;
  • Apoio no Mapeamento do Sistema de Saúde atual e futuro;
  • Acompanhamento de Medidas e seus impactos;
  • Será uma das fontes de dados e informações para tomada de decisão.

Equipe Técnica

O SGB está atuando de forma voluntária ao lado de especialistas técnicos. Além do time do SGB, liderado por Fernanda Bornhausen, cofundadora e presidente voluntária, participam a consultoria Data Science Brigade, através de seus sócios  Leandro Devegili e Jon Cardoso, Dra Ana Luiza de Lima Curi Hallal, Dra Christianne Coelho, Dra Mônica Luna, Dra Ana Paula Silva Bornhausen e Dra Patrícia de Sá Freire do Engin/EGC.

Experiência e know how 

O SGB já levou conhecimento em dados para mais de 700 pessoas na formação de três laboratórios de dados e outras formações.

“O objetivo sempre é de gerar maturidade nos participantes das nossas formações para uma cultura de tomada de decisão com base em dados e evidências. Durante o período de mentorias dos nossos laboratórios, também são desenvolvidas soluções em dados para serem incorporadas na gestão e o impacto seja chegue até quem precisa ser beneficiado”, explica Fernanda Bornhausen.

Desde 2017, o SGB lidera, com o apoio da Fundação Telefônica Vivo, o Movimento Data for Good (Dados para o Bem) no País. Além de criar um movimento intersetorial de discussão sobre o uso de dados para gerar impacto positivo no País (Além da FTV, Instituto Humanize, programa Impulsiona do Instituto Península, Engie e In Loco são impulsionadores da discussão sobre o tema e financiadores do Movimento).

O SGB, em nome do Movimento Data for Good que tem a transparência como um dos pilares, está apoiando o Governo de Santa Catarina no desenvolvimento da Frente de Transparência e Dados Abertos.  O governo de Pernambuco, melhor pontuado no ranking  da https://okfn.org/ e também um dos participantes da rede do laboratório de dados para a gestão pública do SGB , colaborou ao divulgar as boas práticas da sua gestão para apoiar essa frente do Governo de SC.

Currículos dos profissionais envolvidos e apoio à ação:

Fernanda Maria Barreto Bornhausen

https://www.linkedin.com/in/fernandabornhausensa/

Ana Addobbati

https://www.linkedin.com/in/anaaddobbati/

Carolina de  Andrade

https://www.linkedin.com/in/carolinadeandrade/

Tiago Manke

https://www.linkedin.com/in/tiagomanke/

Leandro Devegili

https://www.linkedin.com/in/leandro-devegili-17429926/

Dra. Ana Luiza de Lima Curi Hallal

http://lattes.cnpq.br/9718225535074530

Ana Paula da Silva Bornhausen

https://www.linkedin.com/in/anapaulabornhausen/

Dra Christianne Coelho de Souza Reinisch Coelho

https://www.escavador.com/sobre/718138/christianne-coelho-de-souza-reinisch-coelho

Dr. Jon Cardoso

https://www.linkedin.com/in/jonjoncardoso/

Dra. Mônica Maria Mendes Luna

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4799556T9

Dra. Patricia de Sá Freire

http://lattes.cnpq.br/0512122110804047

Para saber mais acesse: http://socialgoodbrasil.org.br/ e acompanhe no Instagram @socialgoodbrasil


Deixe seu comentário