Ecossistema

29/abr/2019

Case de Startup participante do LinkLab é premiado em Seminário de Geração da ENGIE

Road Labs foi conectada à ENGIE em 2018 pelo programa de inovação aberta da ACATE

O case envolvendo a Road Labs, empresa que atua na gestão de conservação de grandes infraestruturas, conquistou o 3º lugar no 6º Seminário de Geração da ENGIE Brasil Energia, realizado em Florianópolis, dos dias 18 a 20 de março. A startup foi conectada à corporate pelo LinkLab, programa de inovação aberta da ACATE, em 2018. O sistema premiado automatiza processos na gestão de equipes e serviços em reservatórios de hidrelétricas.

 

De acordo com o fundador e um dos sócios da Road Labs, Pedro Fornari, a empresa, criada em 2017, anteriormente havia feito projetos no mercado de infraestrutura, com a gestão e conservação de rodovias. No ano passado, a ENGIE Brasil Energia, uma das corporates que patrocinam o LinkLab, observou uma possível solução no serviço prestado pela startup e iniciou as tratativas para uma parceria.

 

Fornari destacou a importância do LinkLab, espaço em que a empresa está situada até hoje, na concretização do projeto. “A participação do LinkLab no desenvolvimento da Road Labs é bastante significativa. O programa nos ajudou muito, tanto para modelar o negócio – por meio de mentorias e workshops -, quanto no fechamento de novos contratos”.

 

Os representantes do setor de inovação da ENGIE Brasil Energia, Rafael Calado e Mariana Quadros, também destacam o papel do espaço no processo de inovação das grandes empresas. “Nós nunca tínhamos trabalhado com uma startup no Brasil. Estamos há dois anos aqui no LinkLab, que é nosso principal parceiro de inovação aberta para conexão com as startups”, comentou Rafael. “A Road Labs é claramente um case que mostra que esse tipo de conexão com as corporações pode criar valor”, salientou Mariana.

 

Atualmente, as usinas de Itá, no oeste de Santa Catarina, e Machadinho, no extremo norte do Rio Grande do Sul, contam com o HidrOs, sistema da Road Labs para gestão de equipes e serviços, que automatiza processos em reservatórios de hidrelétricas. De acordo com Fornari, os registros que antes eram homologados de três a quatro dias, hoje são feitos em duas horas. O sistema ainda está em processo de adaptação, mas a expectativa é que seja instalado em outras usinas hidrelétricas da ENGIE.