Verticais

15/fev/2019

Especialistas debatem a Nova Base Comum Curricular em meetup da Vertical Educação

O evento, que ocorreu na terça-feira (12), reuniu especialistas, agentes do ecossistema de tecnologia, professores e gestores da rede pública e privada municipal

Na última terça-feira (12), ocorreu na ACATE o primeiro meetup do ano da Vertical Educação, com o objetivo de debater a Nova Base Comum Curricular (BNCC) e os desafios que as escolas irão enfrentar durante a implantação do sistema. O encontro contou com a presença de Maurício Fernandes Pereira, secretário municipal de Educação de Florianópolis; Marcelo Batista de Sousa, presidente do Sindicato das Escolas Particulares de SC (SINEPE/SC) e Leonardo Correia, coordenador de Tecnologia da Fundação Lemann.

 

Cada participante teve um momento de fala para demonstrar os potenciais e os desafios da nova Base. Leonardo Correia, da fundação Lemann abriu as apresentações explicando como as mudanças permitirão o desenvolvimento de uma educação diferente através das novas tecnologias e inovações que estão influenciando e vão influenciar no ensino da educação básica e na implantação da nova BNCC. Já a discussão e apresentação dos desafios práticos da implantação da Base dentro da rede pública e privada foram apresentados por Maurício Fernandes Pereira e Marcelo Batista de Sousa. Após as apresentações houve um painel de respostas com os palestrantes, com perguntas que os participantes encaminharam ao realizar suas inscrições pelo Sympla. Para encerrar o evento, o microfone foi aberto para o compartilhamento de novas dúvidas.

 

Recursos digitais:

Durante o encontro foram compartilhadas dicas de ferramentas que ajudam a escola a se adaptar a nova Base, são elas:

 

Khan Academy

A ONG oferece recursos de aprendizado, com vídeos sobre as principais matérias, como matemática, ciências e programação. A ferramenta possibilita aos alunos aprenderem no ritmo deles, usando tecnologias adaptativas que identificam os pontos fortes e lacunas no aprendizado.

 

Árvore de livros

Maior plataforma de leitura digital para escolas do país. Oferece também um apoio pedagógico.

 

Escola digital

Portal com conteúdo para professores, gestores e alunos. Oferece conhecimento para professores e possui ferramentas para criação de planos de aula, além de mostrar como a tecnologia pode ser inserida no processo de aprendizagem.

 

Nova escola

Veículo especializado em educação, possui conteúdo segmentado sobre a Nova Base, além de artigos para professores e gestores e recursos para elaborar um plano de aula.

 

Curriculo Digital da Cidade de São Paulo

É o currículo de São Paulo, que foi desenvolvido de acordo com a Nova Base Comum Curricular. O material foi criado a partir do conhecimento e das práticas realizadas por professores da Rede Municipal de Ensino. A iniciativa tem apoio da Fundação Lemann, UNESCO e a Secretária Municipal de Educação da cidade.

 

Fundação Lemann apoia a tecnologia em educação

Para  o coordenador Leonardo Correia a conexão entre tecnologia e educação é um dos principais caminhos para mudar a realidade no Brasil: “na fundação Lemann um dos nossos principais objetivos é melhorar a educação pública do país. Nós acreditamos bastante em soluções de tecnologia educacional que resolvem problemas reais, assim como acesso a leitura, defasagem em matemática, a própria gestão escolar. Aqui na ACATE há um grupo, um ecossistema de excelência, onde boas práticas podem ser replicadas e talentos podem ser atraídos. Me parece que um hub como a ACATE tem um papel central para apoiar esse mercado, seja na identificação de dores específicas, no apoio dessas empresas, ou na aceleração dessas startups. A entidade acaba sendo uma interface de diálogo, para entender  quais os desafios mais comuns que as organizações que desenvolvem soluções para educação enfrentam e como podemos oferecer alternativas para isso, como fundação”, comentou.

 

Para aqueles que estão começando uma startup de edtech ou querem investir nesse mercado, Leonardo recomenda estudar muito o sistema educacional. “Saber quais são os problemas reais de uma escola, falar com os professores, os alunos, os gestores. Estar inserido no contexto profundamente é o melhor jeito de desenvolver soluções que impactam e resolvem problemas reais das escolas. Identificar um problema claro é fundamental, e saber operar de um jeito ágil, desenvolvendo protótipos e testando a cada etapa irá favorecer muito o produto”, aconselha.