Notícias

22/mar/2011

TI brasileira busca espaço no mercado angolano

A SOFTEX e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), no âmbito do Projeto Setorial Integrado para Exportação de Software e Serviços de TI (PSI-SW), promovem nos dias 22 e 23 de março, em Angola, a primeira edição do “AnBraTi: Angola – Brasil em TI – Cooperando para o Desenvolvimento”.
 

A SOFTEX e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), no âmbito do Projeto Setorial Integrado para Exportação de Software e Serviços de TI (PSI-SW), promovem nos dias 22 e 23 de março, em Angola, a primeira edição do “AnBraTi: Angola – Brasil em TI – Cooperando para o Desenvolvimento”.
 
Apoiada pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e pelo Ministério da Ciência e da Tecnologia (MCT), uma missão brasileira estará naquele país para apresentar soluções de TI voltadas às áreas de finanças, agronegócios, saúde e petróleo. A execução foi delegada pela SOFTEX para o consórcio angolano brasileiro de Empresas de Tecnologia da Informação (BOC), um dos subprojetos do PSI-SW.
 
Durante dois dias serão promovidas reuniões de negócios entre empresários brasileiros e angolanos para detalhar as soluções nacionais nas áreas-foco da missão e de que forma elas podem contribuir para o crescimento macroeconómico de Angola. Integram a delegação Compware, CPQD, Jupiter , NPI Brasil, Softexpert, SCA Systema,  Stefanini  IT Solutions, ZCR Informática e Topos Informática.

Entre as autoridades com presença confirmada no encontro estão a embaixadora do Brasil em Angola, Ana Lucia Peterson; o ministro Kundi Paihama, do Ministério dos Antigos Combatentes; o vice-ministro para Tecnologia da Informação, Pedro Teta; o vice-presidente da Associação dos Empresários e Executivos Brasileiros em Angola (AEBAN), Renato Azevedo; o vice-ministro do planejamento, Gualberto Campos Luna; e o secretário-geral da Agricultura, José Prata.

Aproveitando o sólido desempenho da economia angolana, os laços históricos e de amizade que ligam os dois países, bem como o interesse do Governo nacional em aprofundar o relacionamento Sul/Sul, o AnBraTi 2011 tem entre seus principais objetivos a apresentação da indústria brasileira de software e serviços de TI, a geração de oportunidades de negócios, a formação de parcerias por meio da cooperação entre companhias de ambos os países e a divulgação da marca Brasil IT+, que identifica a indústria nacional de tecnologia no mercado internacional.
 
“A República de Angola, no triênio 2006-2008, registrou uma taxa de crescimento econômico médio em relação ao PIB de 17%. A partir da identificação das oportunidades hoje presentes em Angola, planejamos essa iniciativa certos de que há um espaço no processo de modernização da área de TI daquele país que pode muito bem ser ocupado pelas nossas companhias, não só pelos diferenciais competitivos presentes em nossas soluções como pela facilidade adicional da língua comum”, explica Djalma Petit, diretor de Mercado da SOFTEX.
 
Petit também destaca a proximidade entre o Brasil e Angola no campo cultural. “Falamos o mesmo idioma, o que sem dúvida é um facilitador para avançarmos em qualquer negociação”, lembra o executivo, acrescentando que o país africano já está familiarizado com a presença de empresas brasileiras. “O Brasil tem muito a colaborar com Angola na área de TI, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social daquele país-irmão e gerando significativas oportunidades de negócios para as empresas brasileiras”, conclui.

Assessoria de imprensa da SOFTEX